segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Trote Solidário 14.2 - Visita a Casa do Menino

            A fim de encerrar as nossas atividades com um gesto solidário e em clima natalino, o PET Computação UFCG visitou nesta Sexta-feira (19/12/2014) a instituição Casa do Menino, que ironicamente é constituída apenas por meninas. 


         Localizada na Rua Francisco Antônio do Nascimento, 1078, no bairro Monte Castelo, o grupo visitou a instituição com o objetivo de fazer a doação do Leite em Pó arrecadado no Trote Solidário da Semana do Fera 14.2. Chegando à Casa do Menino, fomos calorosamente recebidos por duas Irmãs responsáveis pela instituição. O grupo que faz a manutenção e cuida do local é constituído por 7 freiras que oferecem oficinas de Costura, Artes, Informática e Aulas de Reforço Escolar aos jovens do local. Como a nossa visita foi feita em um período em que as crianças estão entrando de férias, infelizmente nós não tivemos contato com nenhuma criança da instituição, mas a doação que fizemos, apesar de muito pequena se comparado ao que eles precisam, foi muito bem recebida. 
        Deixamos aqui um apelo à quem quiser ajudar, a Casa do Menino necessita de: Material Escolar (caderno, lápis, estojo, borracha, etc), Material de Limpeza, Material de Higiene Pessoal (sabonete, shampoo, creme dental, escova, etc), Roupas (usadas ou não), Brinquedos e Alimentos não-perecíveis. Outra forma de contribuir é por meio de doações em dinheiro, também bastante necessárias já que várias instalações do local precisam/estão em reforma.   
           E é por meio dessa atitude revigorante para todos os membros do grupo que encerramos o ano de 2014 com votos de muita paz e felicidade no ano que está por vir! 

Feliz Natal e um Excelente Ano Novo à todos!

 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Grupo PET Computação Participa do InterPET UFCG 2014




     E hoje (quarta-feira 17/12)  aconteceu o InterPET, encontro dos grupos PET da UFCG no Centro de Extensão José Farias Nóbrega. Esse encontro teve como objetivo fortalecer a integração entre os grupos PET, tendo como base a Ética e como construir uma vida com um alicerce firme em suas questões. 



     Com uma tarde bastante produtiva, tivemos uma palestra com o Professor de História Alarcon Agra do Ó com a temática abrangendo a Ética e como praticá-la em nossas vidas. Após a palestra aconteceu a exposição dos pôsters das atividades desenvolvidas por cada grupo PET. 

Tirinha #3 - Mãe no computador



terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Coluna do Egresso por Lauro Beltrão Costa

Minha relação com o DSC começa antes de eu começar o curso de graduação em Março de 2000. Devido ao meu interesse em informática, fiz o teste para o curso técnico do curso de Informática do atual CEFET/AL em Maceió. Na época, uma parte dos professores do CEFET eram egressos do DSC ou do DEE da Federal em Campina Grande. Influenciado pelos professores do CEFET, optei pelo vestibular para a graduação em Ciência da Computação da UFCG quando acabei o CEFET, mesmo já tendo cursado um ano de graduação.
http://laurocosta.net

Além de descrever um pouco da minha experiência durante a graduação, adiciono quatro dicas que acredito que são úteis para outros alunos.
Depois de alguns meses no curso, comecei a procurar outras atividades. O grande professor Camilo Medeiros convidou para administrar um laboratório do programa PCT e me colocou em contato com Fellipe Aleixo que estava formando os Guardians. A partir daí, eu estava no DSC independente de várias greves que 
tivemos.
No ano seguinte, conheci o grande guru Walfredo Cirne, de volta a Campina Grande após concluir o seu o doutorado. Comecei a trabalhar no LSD no projeto MyGrid, que deu origem ao OurGrid, onde também tive contato com professor Fubica. Ainda no mesmo ano, cursei a disciplina de Métodos Avançados de Programação com o meta-guru Jacques Sauvé. Esses três tiveram uma enorme influência na minha experiência e no aprendizado durante meus anos de DSC.
Primeira dica: de vez em quando, vá comer um bode com seu professor. Converse com seus professores, troque idéias e experiências. O meu contato no contexto da universidade foi muito bom, mas o extra projetos e disciplinas foi ótimo.
Meta-dica: Aprenda quando ignorar e discordar de seu professor.
A experiência no LSD e no projeto OurGrid ocupa a maior parte das minhas lembranças do DSC. Comecei quando o laboratório era apenas uma sala no DSC. As segunda e terceira versões, mudando para o prédio que era ou ainda é do controle acadêmico e depois para o atual, trouxeram maior contato com muita gente boa. Algumas delas hoje fazem parte do DSC como Andrey Brito, Eliane Araújo, Lívia Sampaio, Nazareno Andrade e Raquel Lopes. Foram dias e noites de uma mistura ímpar de aprendizado e diversão, em um projeto que misturava pesquisa, produto e interação com vários usuários.
Segunda dica: faça um estágio. O aprendizado é grande e amplia seus horizontes, o que dará base para as decisões seguintes. Talvez não seja fácil encontrar um projeto que misture os aspectos acima. Neste caso, procure algo fora da universidade. Lembre-se também que o estágio é algo temporário e não deve ter prioridade maior que seu curso de graduação.
Continuar no mesmo ambiente para o mestrado foi um passo natural. Passar a ter contato com os novos alunos vindo da graduação para trabalhar no projeto foi uma experiência muito boa e enriquecedora.
Depois de Campina Grande, fiz doutorado na University of British Columbia em Vancouver, BC, Canadá, e começo esta semana como Engenheiro de Software na Google de Waterloo, ON, Canadá.
Desde que saí de Campina, tive cinco experiências curtas de estágio em duas grandes empresas e um laboratório fora do Brasil. Em quase todos, encontrei com alguém que passou pelo DSC. É sempre muito bom conversar com o pessoal que encontro sobre este excepcional período de minha vida, mas melhor ainda é constatar que nossa formação acadêmica nos capacita para diversos centros de excelência no mundo.
Para finalizar, fica a terceira dica: procure passar um tempo em um país de que o idioma seja inglês. Quanto mais cedo, melhor.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Ciclo de seminários #5: "MOOCs, O Quê?"

Na ultima sexta-feira(12) também aconteceu o seminário "MOOC, O Quê?", apresentado pela petiana Maria Letícia. Em uma apresentação sobre essa recente tecnologia que teve seu auge em 2012 visou informar o básico sobre a definição dessa tecnologia, histórico, vantagens e desvantagens, principais plataformas e muito mais.



Durante a apresentação foi explicitado qual a importância de ter selecionado esse tema, uma vez que nós estudantes (ou não) estamos sempre procurando uma nova forma de obter conhecimento sobre  a sua área de estudo ou de interesse pessoal, sendo os MOOCs uma recente tecnologia que surgiu com o desenvolvimento da internet e permite que universidades, professores e alunos do mundo inteiro estejam conetados através de uma plataforma para a disseminação do conhecimento. Foi mostrado também um breve histórico e evolução dos MOOCs, identificado sua base nas ideias de OER(Open Education Resources) juntamente como movimento de OE(Open Education), além de mostrar que o primeiro MOOC foi um curso dada pela universidade de Stanford intitulada "Introduction to Artificial Intelligence" a qual teve a participação de 160.000 estudantes.

A apresentação também indicou a diferença entre as duas vertentes dos MOOCs: cMOOCs (baseados na teria da conectividade) e xMOOCs (baseada em conteúdo). Foram apresentadas algumas das principais plataformas incluido o edXCourseraKhan Academy e muitas outras, além de algumas plataformas brasileiras também, destacando uma que está sendo desenvolvida pela UFCG (POETA), apontando informações relevantes sobre cada uma. Indicou-se vantagens e desvantagens, tanto para os alunos quanto para os provedores dos MOOCs e políticos. Vocês podem acessar o link da apresentação aqui.
video

Ciclo de Seminários: Minimalismo

Foi realizada, no Auditório Mário Hattori, a última edição do Ciclo de Seminários deste ano. Numa das palestras, o petiano Clenimar Filemon abordou o tema Minimalismo.


O minimalismo surgiu como um movimento nas artes visuais, no período pós-guerra. À época, o Expressionismo Abstrato era o estilo mais popular, com obras repletas de subjetividade, muito pouco objetivas. Esse fato começou a incomodar algumas pessoas que, aliando algumas influências --como Duchamp e Picasso-- a um desejo de uma arte que fosse autossuficiente e expressasse seu significado em função de sua unidade (obra de arte como objeto), fizeram surgir a arte minimalista.


Posteriormente, o movimento expandiu-se com força para outras áreas, como a arquitetura, a publicidade, o design, e o web-design. Na literatura e na música, observava-se uma forte dependência do contexto para alcançar a completude. Hemingway, autor de clássicos como O Velho e o Mar e Por Quem os Sinos Dobram, utilizava tal estilo. Na música, apesar da pouca expressividade do movimento, surgiram peças de valor, como a intrigante 4'33'', de John Cage

A popularidade do ideário minimalista (menos é mais) foi tanta que foi extrapolada para a vida em si: tornou-se um estilo de vida, oposto ao consumismo, que prega pela essência em vez do que é supérfluo, material.

Ainda hoje as ideias possuem força, sendo o estilo-padrão da indústria do design: basta checar a popularidade dos flat icons, os websites mais bonitos da web, blogs de design, etc.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

PET Computação na XIX Conferência Internacional sobre Informática na Educação

TISE 2014
Desde terça-feira (ontem), o grupo PET Computação está participando das atividades da XIX Conferência Internacional sobre Informática na Educação, que esteva prevista para acontecer nos dias 9, 10 e 11 deste mês na Faculdade 7 de Setembro na cidade de Fortaleza/CE. O evento conta com a presença de pessoas muito influentes no mundo quando o assunto é informática aplicada à educação, como: Elliot Soloway (professor da Universidade de Michigan, Escola de Educação, Colégio de Engenharia e Escola da Informação), Cathleen Norris (professora do Colégio de Informação, Departamento de Tecnologias de Ensino da Universidade do Norte do Texas, USA) e Pierre Dillenbourg (professor da Escola de Computação e Ciências da Comunicação, Escola Politécnica Federal de Lausanne, Suíça). 

O evento inicio suas atividades com algumas palestras sobre inovações para melhorar a qualidade do ensino no âmbito acadêmico utilizando tecnologias da ciência da computação. As informações completas sobre o evento você pode conferir clicando aqui. A programação do evento conta com o oferecimento de três minicursos relacionados a informática aplicada no ambiente escolar. Alguns dos minicursos, contam com demonstrações e exemplificação de utilização de tecnologias que podem e devem ser implantadas no ambiente escolar para garantir um maior rendimento acadêmico. Além disso, o evento conta com a apresentação de posteres de artigos Full Papper e Short Papper. A exposição dos posteres de hoje da categoria de Short Papper contou com a presença do petiano Marcos Nascimento.

Marcos fez a exposição de sua pesquisa desenvolvida ao longo deste ano com título: Uma Proposta de Metodologia para Aumento do Desempenho Acadêmico Utilizando Técnicas de Inteligência Emocional e um Ambiente Online de Acompanhamento. A exposição proporcionou a discussão de assuntos nunca percebidos no ambiente escolar e que podem estar inteiramente ligados com o rendimento escolar.

Gleyser à esquerda e Marcos à direita na apresentação de artigos da categoria Short Paper


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Destaque PET Computação na OPI 2014 - alunos da escola Estadual Felix Araújo

Incentivar a participação de alunos de escolas públicas na Olimpíada Paraíbana de Informática (OPI) e na Olimpíada Brasileira de Informática (OBI) é uma das ações que o PET Computação vem desenvolvendo desde o ano passado e que começam a render seus primeiros frutos. 

Desde novembro do ano passado, estamos desenvolvendo com alunos da Escola Estadual Felix Araújo, oficinas de raciocínio lógico e treinamento para as olimpíadas. Na OPI desse ano, 3 alunos que participam do projeto obtiveram bom desempenho nas provas. São eles:

Lucas Henrique V. A. Martins
Alcindo Felix dos Santos Neto
Martha Verônica Felix dos Santos

Na última segunda-feira (1/12), realizamos premiação na escola de forma a reconhecer o bom desempenho dos alunos e incentivá-los a continuarem participando das ações do grupo. Nesse momento, exibimos vídeo com mensagens de apoio e reconhecimento de medalhistas das olimpíadas e do coordenador da OPI Rohit Gheyi. Contamos ainda com a participação de Lucas de Matos, medalhista de ouro da OBI 2014.

Esperamos continuar tendo muitos outros destaques do pet computação e que cada vez tenhamos alunos da rede pública participando e obtendo bom desempenho!

E que venham outros!


Fotos da premiação na escola:


 Lucas Henrique V. A. Martins

 Alcindo Felix dos Santos Neto

 Martha Verônica Felix dos Santos